Fases e Crises

/, Artigos/Fases e Crises

Fases e Crises

Existe um provérbio chinês que diz “Levamos 20 anos para aprender, 20 anos para lutar e 20 anos para nos tornar sábio”.

Rudolf Steiner* aprofunda este estudo apresentando 4 grandes fases do desenvolvimento humano, afirmando que levamos 21 anos para aprender, e vivemos a maturação física, 21 anos pra lutar e vivemos a maturação anímica, 21 anos para aprender e atingir a sabedoria, vivemos a maturação espiritual e mais 21 anos exercitando a maturação na fase luz.

Claro que durante toda a nossa existência,  estamos nos desenvolvendo, e se observamos em nossa própria biografia, provavelmente encontraremos nos primeiros anos de vida a fase que mais crescemos e desenvolvemos o nosso corpo físico, veja o crescimento do bebê até os 7 anos de idade, quantas mudanças físicas podemos observar, e mudanças da personalidade nesta fase? A espiritualidade, está na terceira fase, por volta dos  63 anos, quando estamos mais empáticos, introspectivos e pacientes.

Conhecer as fases e crises da nossa biografia e das pessoas com que convivemos pode nos facilitar a vida nas relações pessoais , na tomada de decisões e principalmente na construção de um futuro melhor.

Vejamos então o que acontece conosco em fases de sete em sete anos, os setenios.

Dos zero aos 7 anos  ocorre o nascimento do físico, desenvolvemos o sistema neurosensorial. A expectativa de nossa família é identificar quanto estamos acompanhando o crescimento e desenvolvimento intelectual em relação as outras crianças da mesma idade. para o bebe o mundo é bom, tem consciência apenas de si mesmo e sua referência é a família, mais especificamente a mãe ou a pessoa que a cria.

Dos 7 aos 14 anos, ocorre o nascimento emocional, desenvolvemos o sistema rítmico, que é o amadurecimento de órgãos como o coração e o pulmão. Para a criança nesta fase, o mundo é belo, vivencia o “EU”, toma conhecimento de si e do outro, ganha o senso estético e sua referencia é a escola. Nesta fase é comum que os meninos  se apaixonem pela primeira professora, as meninas se tornam mais vaidosas e a frase mais comum entre eles é “minha professora disse que é assim…“ e pronto, assim será .

Dos 14 aos 21 anos, ocorre o nascimento da Identidade, o adolescente reconhece a sua sexualidade, desenvolve o sistema metabólico.. O mundo é verdadeiro, como se fossem reveladas coisas que antigamente não eram conhecidas ou vivenciadas. Desenvolvem o senso crítico e por isso parecem tornar-se rebeldes pois querem construir a sua própria verdade. A referência são os amigos , com isso comparam sua estrutura familiar com a dos amigos e fazem a maior parte das coisas em conjunto com estes amigos, possuem quase sempre as mesmas idéias e opiniões.

O aprendizado nestas 3 fases ocorre muito mais de forma externa, através de um professor, do que de forma interna embora aprenda muito com suas experiências.

A partir dos 21 anos e até os 42 anos inicia-se a fase da auto afirmação e da auto educação, passam a buscar o seu próprio aprendizado, de dentro pra fora, pelo seu interesse.

Dos 21 aos 28 anos, desenvolve-se a fase emotiva, nesta fase buscamos um lugar no mundo. Vivemos altos e baixos emocionais, no mesmo dia que acordamos eufóricos e felizes, passamos por tristezas, raiva e depressão. Somos apaixonados muitas pessoas se casam nesta fase.

As emoções são vulneráveis, no ambiente de trabalho e nas relações interpessoais possuem mais dificuldades para ouvir e receber feedback. Como estão em busca de um lugar no mundo, precisam ser aceitos e por isso esta dificuldade. A primeira crise ocorre nesta fase, a crise de identidade, é comum que tenhamos dificuldades de identificar quem somos e o que queremos efetivamente nesta fase. As negociações tendem a ser competitivas do tipo ganha/perde.

Dos 28 aos 35 anos entramos na fase racional e outra crise nos visita,  a crise dos talentos nesta fase não buscamos mais um lugar no mundo, nesta fase conquistamos este lugar é como fincar o cajado, receber o cargo almejado, mostrar um cartão de visitas daquela empresa ou com aquele cargo específico, que tanto buscamos na fase anterior, valorizando o poder e o status. Questionamos a ordem do mundo e queremos mudá-lo, já que acreditamos que tudo podemos.

Dos 35 aos 42 anos entramos na fase consciente, nos tornamos auto críticos e exigentes conosco, desenvolvemos habilidades sociais e enfrentamos a crise de autenticidade.  Surgem perguntas como: Quem sou eu? Quais são os meus valores? Como sou visto pelos outros, o que conquistei até aqui?

A partir dos 42 anos inicia-se a fase da sabedoria e do auto desenvolvimento, o aprendizado ocorre por si só e de dentro pra fora, busca pelo aprendizado que deseja e não aquele imposta pela sociedade.

Dos 42 aos 49 anos entramos na fase artística e aí é muito comum encontrar pessoas aprendendo dançar, cantar, tocar um instrumento musical ou pintar. Liberta o pensar, sem pré julgamentos. Enfrenta a vida com iniciativa, segurança a vida é verdadeira e real.

Dos 49 aos 56 é a fase moral, estamos cheios de energia, desenvolvemos o auto-respeito, libertamos o sentir e fazemos o que queremos, independente do que a sociedade achar. Aparece a beleza interior, tem uma visão cooperativa, as negociações são do tipo ganha-ganha e o líder é facilitador.

Dos 56 aos 63 vivenciamos a fase intuitiva e mística, a fase da espiritualidade e da criatividade, o líder é inspirador, tem uma ampla visão do futuro, liberta o quer e, busca uma nova visão e a liberdade pra fazer o que bem quer.

A partir dos 63 anos vivenciamos a fase luz, a fase da sabedoria e autoridade, a liberdade e serenidade. Atua com foco no futuro. Compreende a sua espiritualidade e se desenvolve para a vida futura. O líder age de forma cooperativa, “nós no lugar do eu”.

Embora esta seja uma jornada da qual sofremos algumas influências na nossa biografia, conhecê-la  nos leva a fazer escolhas. Se escrevermos a nossa biografia, seremos capazes de identificar o que se repete em nossas vidas em termos de sucesso e insucesso inclusive sobre nossos relacionamentos.  Devemos aprender com cada uma dessas fases crises e repetições para  escolher a melhor  decisão a se tomar.

Ao conhecer a nossa fase e a fases das pessoas com quem nos relacionamentos, podemos compreender a nós mesmos e as pessoas as outras pessoas, reduzir os conflitos e aumentar o respeito.

Como já sabemos que nada é definitivo e que podemos mudar tudo,  que está a nossa frente, aproveite elabore já um plano de vida e crie uma nova biografia.

Tome o destino em suas próprias mãos!!!


Ana Penarotti é formada em Pedagogia, pós-graduada em Gestão de Pessoas e Qualidade. É Psicodramatista, Consultora com foco na Antroposofia, Gestão Estratégica em Neurobusiness e Coaching Internacional. Cursa Pós em Transdisciplinaridade é Consultora “DISC”. É co-autora do livro PNL&Coaching. Sócia da Tríax Treinamento e Desenvolvimento Humano, e docente em escolas como SENAC e Sincor.

By | 2016-04-07T20:50:22-03:00 abril 7th, 2016|Ana Penarotti, Artigos|Comentários desativados em Fases e Crises

About the Author:

1
Olá!! Como a Flyflow pode lhe ajudar?
Powered by